7.9.11

Da humanidade (ou falta dela)

Sete de Setembro. Feriado. Devotamos nosso patriotismo à cama enquanto uma parcela ínfima que nos chama de alienados desfila trajando bandeiras de um país que é por todos lembrado, de fato, em época de Copa do Mundo. Talvez nem isso mais, vá lá.
Mas acredito no seguinte: patriota mesmo é quem trabalhou nessa data, assim como em outros períodos festivos, apenas para que nos sintamos amparados e continuemos a gastança aparentemente ininterrupta.
E que possamos continuar passeando pelos shoppings impunemente, sem lembrar em momento algum que essas pessoas possuem famílias e poderiam estar lá.
Porque elas realmente não têm, não? Ouvi dizer que são robôs.
E talvez nós sejamos os escravos.

Um comentário:

Alê disse...

Pátria amada Brasil? Data pra refletir...