2.2.11

Uma página amarela de um jornal inexistente

O consagrado escritor Jorge Formiga, dono de uma franquia enorme de livros de auto-ajuda, entre eles o recorde de vendas “Você Pode Se Ajudar” e o meteórico “Seja Seu Próprio Remédio” amarga uma oposição ferrenha ao seu novo livro. Segundo pesquisas, “Não Existe Cura, Só Ação” foi considerado péssimo por 90% dos entrevistados, sendo que foram ouvidas mais de cinco mil pessoas em sete capitais de Estados do País.
Adotando uma abordagem mais radical que a presente em seus outros livros, o autor sugere que a única forma de se ajudar e aos outros ao redor é fazer, de fato, alguma coisa pelo mundo. Contestar políticos, deixar de fofocar com a vizinha, ler um livro, seria segundo ele uma bela maneira de mudar a si e ao mundo.
Questionado a respeito da rejeição de sua mais recente obra, Formiga disparou:
“Sempre fiz o que me mandaram. O que me dava dinheiro. Quando você já encheu suficientemente a barriga, fica mais claro perceber do que as pessoas realmente necessitam.
E eu não preciso mais daquilo, nem o mundo. O problema é que as pessoas só querem conforto, e não sair da zona de bem-estar. Pois bem, eu não sou psicólogo. Se querem ajuda, vão a um divã.”
Recentemente, soube-se que Jorge Formiga está em Veneza ao lado de sua nova paixão, uma jovem modelo francesa chamada no círculo da moda de Belle.

2 comentários:

Aninha Kita disse...

Uma crítica muito habilidosa! Parabéns, pontual e genial! ;D

Abraços.
Ana

Marcio Nicolau disse...

subscrevo a fala da Aninha: uma crítica habilidosa. Vê-se o teu potencial de escrita.

Estou aqui em retribuição a tua visita, o que a propósito agradeço muitíssimo.

Proponho o seguinte: mantermos assim o diálogo. Que me diz?

Espero que me diga sim.

Um abraço e até breve.