9.12.10

Da estrutura ou falta dela

Desde criança, era reconhecido pelos seus lindos desenhos.
Podia desenhar tudo o que quisesse, com maestria.
Mas era terrível na escrita.
Sem saber como seguir adiante, pois afinal ele queria que suas criações também pudessem se expressar, ele abandonou os desenhos.
Até encontrar a melhor escritora da região.
Foi amor à primeira vista.
Voltou à ativa, e juntos criaram as melhores obras.
Com o tempo, ele descobriu que todas as criações tinham vida própria.
As árvores davam frutos, os rios continham água pura, os cachorros abanavam o rabinho de felicidade.
Até que um dia ela sumiu.
O homem procurou e procurou.
Nada.
Sem saber o que fazer, pegou da velha borracha e começou a se apagar.
Lentamente.

2 comentários:

Í.ta** disse...

quando a vida engole o autor e sua obra.

excelente!

abraços.

Aninha Kita disse...

Conto mais lindo! Todos escritores são um pouco personagens, não é mesmo?

Abraços!
Ana