7.11.10

Sobre amar novamente

Ela não sabia para onde olhar nem a quem ligar.
O papel mostrava um nome - mas ela havia escrito outro, enquanto sua mente pensava em um terceiro.
Caminhava agora sob os próprios pés.
Descalça e sob o sol quente.
Fugir parecia o melhor.
Mas não conseguia mais andar sem alguém lhe segurando.

3 comentários:

Í.ta** disse...

cara,

tá rolando concurso de poemas lá no um-sentir.

confere e participa!

abração.

Aninha Kita disse...

Que personagem densa, quase posso vê-la, senti-la e entendê-la.

Beijos!
Ana

laynie_ disse...

Demorei, mas voltei de novo \o
Eu to gostando muito do jeito que tu escreve, Philipe. Como já comentaram, é uma personagem bem densa, e também posso imaginar exatamente como é, o que faz...
Parece que quando leio uma partezinha dessas um filminho passa na minha cabeça... continue postando (: