20.6.10

Sobre desculpas, funerais e saudades


Antes de tudo, peço desculpas pela ausência de posts por aqui. Culpem o tempo cada vez mais curto, minha falta de ideias, e também uma eventual falta de internet por longos dias.
Vamos então ao que interessa.
A morte de Saramago me tocou, como fez a muita gente. Um daqueles escritores que não escrevem com a mão, mas com o coração. Leituras difíceis, que requerem tempo, mas fundamentais. É como se toda a existência humana estivesse presente ali, naqueles escritos, desvendada nos mínimos detalhes. Fica o sentimento de perda.
Sem dúvida, deixou um legado à humanidade.

Um comentário:

Í.ta** disse...

vai-se o homem,
fica a obra, né não?

doeu.

mas é assim.
cada vez mais, voltar aos livros dele :)

abraço!