21.2.10

Pelas estações

Acordar cedo no sábado para viajar para o outro lado do Estado.
Na estação, uma conhecida desconhecida também espera. A beleza continua a mesma, mas que pena, não é nesse ônibus.
Na estrada, aguardar, e muito, nas filas e engarrafamentos.
Chegar no destino,e dar adeus à tecnologia.
Banho na lagoa, no meio dos peixes.
Conversas sobre parentes desconhecidos, de lugares desconhecidos.
Acampar no meio do mato.
Na volta, as mesmas esperas, com um porém: a noite não deixa ler. O jeito é extrapolar os limites dos ouvidos durante quatro horas com seu mp3.
De volta à cidade natal, tudo volta ao normal: seu time perdeu, amanhã tem trabalho, as mesmas coisas de sempre.
Mas como amo isso daqui!

Um comentário:

Í.ta** disse...

e ficou legal este breve escrito.