25.7.10

Sonho

Encontrou aquela moeda enquanto brincava no parquinho. Enterrada na areia, um pouco sujinha, bastou lavar na torneira ali mesmo para deixá-la com ares de nova. Analisou-a, pensou que tinha o mundo a seus pés, compraria o que quisesse com aquela moeda.
Cavou mais fundo, e enterrou novamente a moeda.

2 comentários:

Í.ta** disse...

ótemo!

Aninha Kita disse...

Muuuito bom!

Isso me lembrou da frase do filme "Encontrando Forrester": “Alguém um dia escreveu que fugimos de nossos sonhos com medo de falhar, ou pior ainda, com medo de ter sucesso.”

Lindo conto curtinho!
Parabéns pelo dia do escritor! E muitos escritos, sempre! ;D

Beijos!
Ana